VT Dicas: Testes on-line

Passada a fase de triagem, a próxima etapa da maioria dos processos é a de testes on-line. E essas duas fases combinadas são as que reprovam um maior número de candidatos. Por isso é importante ter atenção redobrada na hora de responder os testes. Vamos então às dicas [...]

Passada a fase de triagem, a próxima etapa da maioria dos processos é a de testes on-line. E essas duas fases combinadas são as que reprovam mais candidatos. Por isso, agora que você já passou pelo primeiro “funil”, é importante ter atenção redobrada na hora de responder os testes. Vamos às dicas:


Quanto ao conteúdo das provas

Inglês Provas costumam ser bem elaboradas e seguir um padrão, com questões diversificadas que vão desde gramática (encontrar o erro na frase) e vocabulário (substituir a palavra sem mudar o sentido), a questões de leitura e interpretação de texto. Quem tem domínio do idioma não tem maiores dificuldades. Algo que tem de ser levado em conta é que cada empresa estabelece o seu próprio ponto de corte. Logicamente, as que exigem maior nota no teste de Inglês são as empresas americanas. Vale conferir na lista de pré-requisitos qual foi o nível de Inglês solicitado para se ter uma ideia de qual será a pontuação mínima necessária para aprovação.


Raciocínio Lógico Aqui as provas já variam bastante, especialmente de consultoria para consultoria. Geralmente há um equilíbrio entre problemas matemáticos (resolvidos com equações, cálculo de porcentagens etc) e questões de lógica (com análise de argumentos, suas premissas e conclusões: “Todo homem é mortal. Ora, Sócrates é homem. Logo…”). Outras provas já são bem mais complexas, com questões de progressão aritmética/geométrica, análise combinatória, probabilidade e outros assuntos estudados ainda no colégio e que qualquer aluno da área de Humanas já esqueceu. A boa notícia é que esse tipo de prova “mais difícil” é mais comum em empresas onde a maior parte das vagas é destinada a engenheiros. Mas não se engane: em provas de lógica há tantos engenheiros reprovados quanto publicitários ou psicólogos, pois o teste não avalia somente a sua habilidade em “fazer contas”, e sim a sua capacidade cognitiva e de pensar, muito, muito rápido. A minha dica é revisar alguns dos assuntos citados antes de fazer os testes e, após o término das provas, passar mais um tempo quebrando a cabeça com as questões que não deu tempo de concluir. As chances são de que, em um próximo teste para outra empresa, algumas dessas questões se repitam ou, no mínimo, sigam a mesma linha de raciocínio.


Português Essa prova não é tão comum, mas, quando aparece, reprova bastante. Não raro, os candidatos conseguem tirar uma nota maior em Inglês do que em Português (triste a realidade de nosso país). São poucas as questões de interpretação, a maior concentração está em gramática, e aí fica difícil lembrar a concordância verbal/nominal para a frase ou se aquele verbo é transitivo direto ou indireto para “pedir” o acento grave ou não. A dica é consultar aquelas páginas de resumo/revisão de gramáticas antes de fazer a prova.


Atualidades De longe são as provas mais criticadas pelos candidatos. Isso porque, em muitos casos, o espaço de tempo entre a prova ser elaborada e respondida é tão grande que ela deixa de ser “Atual”. E aí aparecem questões referentes a temas de até uns 2 anos atrás, sobre detalhes de escândalos de corrupção que já deixaram há tempos de ser assunto na mídia, campeonatos passados de fórmula 1, objetos atirados por turistas em quadros de museu (hein?) e outros assuntos aleatórios. Nesses casos, ocorre o inevitável: a maioria dos candidatos termina por recorrer ao “Oráculo”, pesquisando as informações no Google durante a realização da prova, o que faz com que empresas e candidatos percam tempo e, no caso das empresas, dinheiro. Para esse tipo de prova a dica é nunca deixar de se manter atualizado e procurar ter uma boa memória sobre o que aconteceu nos últimos anos.


Conhecimentos Gerais – Essas provas costumam dar mais certo que os famigerados testes de Atualidades comentados acima, e apresentam perguntas variadas sobre aquecimento global e sustentabilidade, comparação entre países integrantes do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), gripe suína etc. Nem precisa dizer que não será apenas na fase de testes que as empresas exigirão que você esteja antenado com tudo o que acontece no mundo, não é mesmo? Uma outra dica é que nesse tipo de prova também são frequentes as questões relacionadas ao negócio da empresa (novas tecnologias, fusões e aquisições etc).

Quanto ao tempo para realizar as provas

Algumas consultorias determinam o tempo para a prova como um todo, o que é uma grande vantagem, pois você pode dedicar mais tempo às questões mais complexas, compensando o prazo respondendo outras perguntas com mais agilidade. Outras consultorias estabelecem o tempo máximo por questão, o que faz com que você tenha de ser ainda mais rápido, afinal, não adianta responder uma questão em 15 segundos se você não conseguir responder a próxima dentro dos 2 ou 3 minutos fornecidos.

A dica então é procurar fazer a prova com tranquilidade e mesmo um pouco de sangue frio. Você tem de manter a calma mesmo que não consiga resolver alguma questão, para que o seu nervosismo não prejudique todo o resto. Tenha em mente que em alguns casos as empresas já sabem que não haverá tempo suficiente para responder tudo, e o que ocorre é mais um teste de como você lida com a pressão e administra o tempo. Lembre-se de respirar fundo, e é sempre bom ter um copo d’água ao lado do computador para fazer uma breve pausa e retomar a calma quando necessário.

Para não perder o prazo de realização das provas, vale a dica de um outro post: se você estiver inscrito em vários processos, liste empresas/prazos em uma planilha e classifique a lista pelo prazo, do que terminará primeiro ao último, de modo a determinar a prioridade dos testes.

Recomendações finais

  • Prepare-se antes, revisando conteúdos, e não deixe de repassar assuntos de questões onde você teve mais dificuldade nos testes já realizados, para que você se saia melhor em provas futuras
  • Mantenha a calma
  • Seja honesto consigo mesmo. De nada adianta pedir para um amigo fazer a sua prova de Inglês e mais na frente ser reprovado em uma fase presencial onde sua proficiência no idioma será testada novamente. Sei que é difícil manter-se correto quando tantos outros trapaceiam na fase de testes, mas, pelo menos pra mim, vale mais não ser trainee e ter a consciência tranquila do que já começar entrando no mercado de trabalho de forma antiética.

E aí? Gostaram das dicas? Se vocês tiverem mais alguma dúvida sobre a fase de testes ou alguma outra etapa, não deixem de colocar nos comentários!

Próximo post: VT indica – Um filme



Comente!