Vida de Estagiário Localiza | Conheça a trajetória de Alyson

Alyson mudou de curso e se encontrou na Estatística. Ele começou a estagiar bem no início da pandemia! Conheça a sua trajtetória.

Sua trajetória começa aquiJá pensou trabalhar na empresa com a maior frota de veículos da América Latina?

A Localiza, que há 48 anos oferece as melhores soluções em mobilidade, está com inscrições abertas para o Programa de Estágio Localiza 2021.

Foto de Alyson Gomes olhando para a câmera, com um sorriso e braços cruzados. Alyson tem barba, usa óculos e uma camisa de botão cinza escuro.
Foto de Alyson Gomes

E para que vocês conheçam um pouco mais como é estagiar na companhia, entrevistei Alyson Gomes, estudante de Estatística na UFMG que iniciou em março de 2020. 

Alyson tem 27 anos e chegou a cursar 2 anos de Ciência da Computação, mas terminou mudando a sua formação. Conversamos sobre a experiência de mudar de curso e de começar um estágio bem no início da pandemia, além de seu trabalho em si.

Fiquem agora com a Vida de Estagiário Localiza!

Você iniciou o seu estágio em março de 2020. Conta como foi começar no mês em que a pandemia foi declarada.

Como o estágio começou no início de março, ainda deu tempo de trabalhar presencialmente. Participei do onboarding e estagiei na matriz por cerca de duas semanas. A vantagem foi que eu pude conhecer meus pares e meus colegas “cara a cara” antes de passar a trabalhar em casa.

Esse período inicial de home office foi uma loucura, com muitos ajustes necessários, mas me surpreendeu a velocidade da Localiza na tomada de decisões e o cuidado da empresa com os colaboradores. 

E como foi se ajustar para o home office para você?

Para mim, e acredito que também para muitas pessoas que fazem estágio, foi muito melhor. Eu gastava 3 horas em trânsito por dia para a faculdade e para o estágio. Foram 3 horas que eu ganhei para fazer coisas como estudar ou cursar uma matéria a mais.

O que me deixou mais feliz é que a empresa percebeu que isso deu certo, pois os resultados foram muito bons. Por esse motivo, já ficou definido que, após o final da pandemia, os colaboradores trabalharão em regime híbrido, com alguns dias em casa e outros presenciais, o que é ótimo para quem faz faculdade, tem filhos etc.

Me conta sobre o que você faz na Localiza. 

Eu comecei na área de Inteligência Comercial e Analytics. Lá eu trabalhava muito com números e bases de dados, construindo indicadores e realizando análises. Eu tive a oportunidade e a confiança da minha liderança para participar de projetos grandes, de coisas que são utilizadas por toda a área de aluguel de carros. Fiquei um ano nessa área e o mais legal foi que eu tive muita interação com todos os setores da Localiza.

Hoje eu estou em um produto específico, que é o Aluguel Mensal para Pessoa Física. Aqui, basicamente, eu cuido de performance, estratégia e um pouco de experiência do cliente também. Continuo trabalhando com indicadores, sendo que agora mais específicos, e implemento ações.

O que mais lhe marcou no estágio?

Na minha entrevista, o gestor da área, Leonardo Quintão, disse o seguinte: “Aqui o estagiário não vai buscar café ou tirar cópia. Você vai trabalhar e se desenvolver e será tratado como um analista ou assistente.”

De fato, desde o início eu pude mostrar que eu poderia somar com o meu trabalho. Isso foi muito importante. Você tem muita oportunidade de crescimento. A minha coordenadora por exemplo começou como estagiária. E tem muitos outros casos.

Também gostaria de destacar as ações de desenvolvimento. Foram diversos cursos da universidade corporativa e encontros mensais com toda a diretoria executiva. 

E o que mais te surpreendeu?

A cultura da empresa. Eu cheguei até a comentar na minha entrevista que eu gostaria de trabalhar em uma empresa onde o cliente fica realmente satisfeito. Poder trabalhar em uma empresa onde eu acredito que a gente está atendendo os nossos clientes da melhor forma possível era algo importante pra mim.

Um dos valores aqui da Localiza é “cliente é a nossa paixão”. E eu fiquei surpreso com o quanto isso é levado a sério. O quanto o cliente é a prioridade número um em tudo o que a empresa faz. É algo que eu nunca tinha visto.

Como foi a decisão de mudar de curso? E que lição você aprendeu com essa experiência?

Essa é uma jornada bem complicada. Entrei no curso de Ciência da Computação com 17 anos. E como foi difícil escolher com essa idade! Procurei algo que eu tinha mais intimidade e imaginei que gostaria de trabalhar.

Fiz o curso por 2 anos e meio e percebi que não era o que eu queria fazer. E aí fui trabalhar. Saí do curso com 19 anos e comecei a procurar emprego. E vi como é difícil para quem não tem uma graduação. Comecei a trabalhar e cresci como pessoa.

Em 2016, decidi voltar a estudar. Fiz o Enem novamente ainda sem saber o curso. A minha meta era entrar na UFMG. Comecei a pesquisar os cursos, então vi Estatística e pensei: “Puxa, isso parece muito com o que eu estou procurando!”. Sempre gostei de Matemática, mas não queria ser professor. Eu queria trabalhar com números com algo mais aplicado ao mercado e que também mexesse com computação. E o engraçado é que hoje eu até já considero dar aula também.

A lição que eu tiro desse caminho é que é muito difícil escolher um curso e acertar de primeira. Sempre recomendo participar de mostras de profissão. Você descobre cursos que nem sabia que existiam. Quando eu entrei no curso de Estatística, pensei: “Era o que eu estava procurando e não sabia! Não tem nada melhor para mim do que isso”. 

Para fechar, que dica você daria para quem está começando um estágio?

Criar conexões é muito importante. Muito mesmo. Um ponto muito positivo de você começar numa turma de estágio é você não começa sozinho. Começar junto com outras 74 pessoas, como foi na Localiza, e cada uma em uma área diferente, faz toda a diferença. Você tem uma conexão mais fácil com praticamente qualquer setor da empresa.

E aí você pode falar com o estagiário daquele setor e dizer: “Nossa, eu tô com uma dúvida, estou precisando entender tal coisa, você pode me ajudar ou conhece alguém que possa?”. Em 100% das vezes que eu precisei desse tipo de ajuda tive uma resposta positiva.

Numa empresa como a Localiza, de 11 mil colaboradores, você tem gente para conhecer pelo resto da sua vida! Então você começa essa conexão inicialmente entre estagiários e aos poucos vai expandindo. E isso é muito importante para que você entenda os setores que são afetados pelo trabalho que você está fazendo, para quem você deve mostrar o seu trabalho e assim por diante.

E aí, curtiu a entrevista? Também deu vontade de ser um(a) Estagiário(a) Localiza? Então corre, que as inscrições terminam em 02 de julho!

Inscreva-se para o Programa de Estágio Localiza 2021!

Comente!