3 de Jun de 2011 1 min de leitura

O que o mercado passa a exigir de quem se forma?

Enquanto o estagiário não tem alto nível de conhecimento técnico e nem sempre domina totalmente uma língua estrangeira, o perfil do profissional graduado é mais avançado: ele deve ter maior conhecimento técnico, melhores competências comportamentais, experiência profissional anterior, bem como tenha cursado ou curse uma pós-graduação e fale pelo menos dois idiomas estrangeiros. E, se você pensar bem, essa mudança de exigência é natural e aceitável, uma vez que as novas funções implicam atividades e responsabilidades mais complexas.

Porém, os processos seletivos são diferentes dependendo das vagas oferecidas e dos perfis estipulados para cada contratação. Ainda assim, as empresas buscam profissionais que expressem autononomia e tomem decisões de acordo com o espaço que lhes forem dados, pois esperam que o candidato traga essas aptidões de experiências anteriores.

Aqui, é importante ressaltar que a experiência profissional não diz respeito somente aos empregos registrados em carteira: os estágios também são reconhecidos, desde que a comprovação dessas vivências não se limite ao discurso verbal. É necessário mostrar materiais palpáveis que expressem suas produções e conquistas ao avaliador. Além de currículo e carteira profissional, entregar uma carta de referência do antigo emprego é uma boa. Para carreiras mais práticas, como design, jornalismo, publicidade, arquitetura ou engenharia, é recomendada ainda a apresentação de trabalhos produzidos em antigos empregos.

Para qualificar o nível das experiências, os recrutadores passam a quantificar as competências a partir da trajetória do candidato no mercado de trabalho. Geralmente, no processo seletivo de um estagiário, pede-se que os estudantes criem saídas a problemas apresentados. Mas na seleção de um funcionário, é solicitado que os profissionais apresentem soluções adotadas em empregos anteriores.

Um outro aspecto cobrado tanto nas seleções de estagiários quanto de funcionários é o foco dos candidatos. Independentemente do nível de formação, os profissionais devem demonstrar saber qual é a área na qual querem trabalhar, bem como o que desejam adquirir a partir do crescimento profissional. Uma dica para conseguir determinar esse ponto é conhecer bem a empresa, seu ramo de atividade e quais benefícios podem ser proporcionados a você.

Por Blog Mais Estudo

Cíntia Reinaux
Cíntia Reinaux
Pernambucana desenrolada, canhota, curiosa, blogueira raiz, youtuber nutella e podcaster café-com-leite. Mais conhecida como "Cíntia do Vida de Trainee".

Participe da conversa

Show! Você se inscreveu com sucesso.
Bem-vindo(a) de volta! Login realizado com sucesso.
Você agora faz parte da comunidade do Vida de Trainee.
Seu link expirou.
Sucesso! Agora é só clicar no link que chegou no seu e-mail.
Sucesso! Suas informações de pagamento foram atualizadas.
Sua configuração de pagamento não foi atualizada.