Novidade!

Receba vagas no seu perfil por e-mail

O meu próprio Homem-Aranha

02.07.2017 | em Sobre o blog

Foto de Stan Lee posando ao lado de um modelo em tamanho real do Homem-Aranha.

Aos 39 anos (pertinho de completar 40), Stan Lee, mente criativa por trás da Marvel, decidiu desistir dos quadrinhos. Antes de se desligar da empresa, porém, a sua esposa propôs que, já que ele estava de saída mesmo, que ao menos se despedisse criando uma história da qual realmente gostasse, sem seguir regras e convenções.

Como resultado, ele e Jack Kirby criaram “O Quarteto Fantástico”. E não pararam mais. Homem-Aranha, X-Men, o Incrível Hulk, Doutor Estranho, Demolidor. Todos os heróis que aprendemos a amar surgiram depois desse momento decisivo de sua trajetória.

E aqui estou eu, 32 anos (a alguns dias de completar 33) e desmotivada com o trabalho que venho fazendo no Vida de Trainee. Muitas tarefas administrativas e poucas atividades que realmente curto fazer. Muita cobrança e pouco feedback positivo. Seria a hora de desistir?

“Eu não preciso disso” é uma frase que tenho repetido com certa frequência nos últimos meses. Afinal, este não é o meu “trabalho oficial”, nem tão pouco a minha principal fonte de renda, e sim apenas um projeto extra que me conecta a algo que amo: aprender e compartilhar experiências.

Há várias formas de preencher esse propósito. Manter uma plataforma sobre carreira em vários canais é apenas uma delas. Não seria melhor “deixar isso pra lá” e buscar projetos com mais potencial de resultados?

E foi nesse instante que eu me lembrei de Stan Lee e de como tudo começou a dar certo quando ele passou a criar histórias para si mesmo, sem se preocupar com a opinião dos outros.

E se, antes de largar esse projeto, eu pudesse voltar a brincar e a experimentar e até mesmo ousar fazer coisas que nunca tive coragem de fazer? E se eu não me preocupasse tanto com a recepção do público ou com a qualidade técnica, mas sim em tirar as ideias da gaveta e ir para a ação, mesmo que com falhas? Como se diz no mundo das startups: “Erre muito. Erre rápido. Erre barato”.

2 de julho. Estamos na segunda metade do ano. Período ideal para uma pessoa metódica como eu tentar algo novo. Durante os próximos 6 meses, irei experimentar e criar como nunca, provavelmente com muitos erros e poucos acertos. Não sei o que descobrirei ao final. É possível a experiência inteira seja um fracasso e eu perceba que já está mesmo na hora de encerrar o Vida de Trainee.

Mas… Talvez – e esse talvez é toda a centelha de otimismo de que um realizador precisa – talvez algo muito bacana surja daí: o meu próprio “Homem-Aranha”.

 

Créditos da imagem: Stan Lee, founder of Marvel Entertainment Inc., poses next to a Spider-Man model in his office in Beverly Hills, California, U.S., in 2008. Jonathan Alcorn—Bloomberg/Getty Images

Posts relacionados

Mais recentes » « Mais antigos

Deixe seu feedback!

  • Luke Silver

    Programas de traineee são uma FARSA. Deve ser por isso a desmotivação. Assim com vários esquemas, ideias falsas, e “falsos profetas” já foram desmascarados, e hoje não tem a mínima credibilidade, a maioria já percebeu que trainee é jogo de cartas marcadas !! Só trouxa ainda acredita nisso. Não é filhinho de papai rico e bem relacionado, de preferência com alguém lá de dentro para te por para dentro ? SEM CHANCE. Não é riquinho para ter feito intercâmbio em país cult ? SEM CHANCE. Não estudou em escola top, com curso de inglês top, e depois numa federal ou particular caríssima ? SEM CHANCE. Não fez estágio top em multinacional famosa ? SEM CHANCE. Meritocracia, esforço, INTELIGÊNCIA DE VERDADE ?? kkkkkkkkkkk Esquece. Para esses programas, melhor ser um riquinho tapado, mas que teve todas as chances e TODA A GRANA para inflar o currículo, do que ser bom de verdade, mas ter um currículo pobre por falta de GRANA. Cansei de esmagar em notas, em apresentações, em tudo os riquinhos playboys burros na minha faculdade. Tive alguma chance ? Tirava 10 em tudo, e os tapados mal conseguiam tirar 6, mas em compensação, mal conseguia pagar a mensalidade da faculdade, e a passagem do ônibus… Os riquinhos ? Iam de carro importado, foram alfabetizados em inglês, e fizeram intercâmbio nos EUA e Espanha. Adivinhem que entrou na vaga de trainee ??

    Faz-me rir, Vida de Trainee !!

  • Aryane Jorge

    Cíntia, primeiramente meus parabéns pelo site/blog. Eu a acompanho há cerca de 3 anos. Sei o quanto é difícil gerar conteúdo, ser criativa, ter disciplina e tantas outras coisas que quem se propõe a fazer este tipo de trabalho tem que ter. Mas saiba que você, com suas dicas, já me ajudou muito em escolhas decisivas para minha carreira.