Últimos dias!

Mitos e Verdades: Limite de idade

19.09.2010 | em Carreira

Imagem: Getty Images

Uma das situações mais decepcionantes de um processo seletivo para trainee é ser reprovado ainda na fase de triagem. Logo começam a surgir inúmeras teorias: “É porque eu não tenho experiência internacional”, ou “Porque não estudei em uma faculdade pública”, ou ainda “Porque tenho mais de 25 anos”.

Em um outro post, já falei sobre o mito da necessidade de experiência internacional. Hoje gostaria de falar sobre a existência ou não do limite de idade.

 

Mito ou Verdade?

Antes de mais nada, quero deixar claro que o que vou dizer aqui não representa a forma de se trabalhar de nenhuma empresa ou consultoria em particular, OK?

Dito isso, não sejamos ingênuos. Logicamente existe sim um limite de idade, ao menos na maioria dos casos.

Antes de ficar revoltado e começar a esbravejar que essa prática é proibida por lei, procure ser sensato: Se a proposta de um Programa de Trainee é trazer jovens talentos para uma empresa e formá-los para que se tornem futuros líderes, qual é o sentido de contratar uma pessoa de 40 anos, por exemplo?

As empresas então adotam um limite que varia entre 26 e 30 anos. Já vi inclusive algumas que  registraram esse requisito nos cartazes de divulgação dos programas (que tipo de retaliação elas sofreram por isso eu já não sei dizer). Também no ano passado houve uma empresa que fez exatamente o contrário: esclareceu no site que não fazia distinção de curso ou idade.

Na prática, o próprio governo estipula limite de idade em algumas situações, como ocorre com os programas de inclusão social em que as empresas contratam jovens aprendizes. A idade nesses casos é delimitada entre 14 e 24 anos. Afinal, trata-se de dar a chance ao jovem de ter o seu primeiro emprego.

De modo semelhante, tanto o cargo de trainee como o de estágio são o que chamamos de entry levels das empresas, isto é, portas de entrada. Seria até desleal concorrer com uma pessoa mais velha, que em geral é bem mais experiente e possui especializações ou mais de uma formação superior.

Por outro lado, uma vez dentro das empresas, você irá descobrir que muitas delas determinam uma idade mínima para posições sênior (de diretoria, presidência etc). Sempre inconformados, novamente nos queixaremos: “Como é que pode não sermos considerados prontos para assumir uma posição por conta da idade?”. Concorde ou não, isso não apenas é prática comum nas organizações como também aparece na própria lei de nosso país. Ou você não sabe que para se candidatar à presidência do Brasil é necessário ter no mínimo 35 anos?

Portanto, é fato que, ao longo de nossa carreira profissional, enfrentaremos situações que consideramos injustas, como a existência de limites de idade (para mais ou para menos). O que não podemos é desanimar por conta disso. Devemos continuar lutando pelos nossos objetivos, tendo sempre em mente que sim, o trainee é uma das melhores portas para o mercado de trabalho, mas não é a única.


Próximo post: VT Dicas – Dinâmicas de Grupo

 


Mais recentes » « Mais antigos

Deixe seu feedback!

  • .

    Não gostei do tom de voz do texto. Soa muito “conformado” bem do jeitinho brasileiro de aceitar tudo que é imposto.
    Além disso, se conformar é aceitar a opinião dessas empresas que não enxergam valor em profissionais mais velhos, muitas vezes por puro preconceito.
    Cíntia, você como profissional de RH talvez devesse expressar a sua opinião no texto de forma mais firme, porque me parece que você é uma das pessoas que excluem candidatos pela idade e isso é bem feio.

  • Eng. Marco IFSP

    Parabéns pelo texto!
    Muito explicativo, coisas que os RHs não nos falam abertamente.
    Coloquei o link deste artigo em 2 vídeos do meu canal do youtube (engmarcoifsp) que falam sobre mercado de trabalho.

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Obrigada, Marco! E boa sorte em seu projeto com os vídeos. Abraços

  • F

    Isso é errado, não podemos nos conformar muito menos reforçar isso. Imagine uma pessoa que passou a adolescência e início da vida adulta com problemas e não conseguiu começar a trabalhar. Ela procura seu primeiro emprego aos 25 anos e deve ser rejeitada por causa da idade? Que mundo é esse?

    “qual é o sentido de contratar uma pessoa de 40 anos, por exemplo?” – 40 anos ainda tem no mínimo mais uns 15 anos de vida profissional, e em média, mais uns 20 ou 25 anos de vida profissional. Esse argumento de “eles terão pouco tempo para se desenvolver” é totalmente falso pois serão, em média, mais 20 ou 25 anos trabalhando e crescendo. Além disso, em geral as pessoas nem ficam 5 anos na mesma empresa, então o argumento de que “não vai dar tempo de crescer dentro da empresa por causa da idade” é completamente falso também.

    Quero ver quem defende essa prática ser demitido e ficar desempregado aos 50 anos. Aí vão pensar “nossa, que injusto, não encontro emprego por causa da minha idade. E minhas contas? O que vou comer? E a minha família?”. Aí provarão do próprio veneno.

    Limite mínimo não é tanto problema, pois é possível ficar mais velho. Mas não é possível ficar mais jovem.

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Olá! Entendo a sua frustração, e em nenhum momento defendemos que a prática seja correta. Nós apenas procuramos explicar o que acontece e o porquê.

      Os programas de aprendizagem, que, pela lei, só permitem contratações até 24 anos, surgiram porque muitas vezes os jovens são rejeitados pelas empresas por não possuírem experiência. Essa medida foi criada para facilitar a inclusão de jovens no mercado de trabalho, e não para prejudicá-los.

      Não é porque a pessoa tem mais de 25 anos e nenhuma experiência que ela será excluída e isolada do mercado. Ela apenas terá de se esforçar um pouco mais.

      Existem diversas oportunidades entre auxiliar e assistente de escritório, consultor de telemarketing, e muitas outras, além do próprio estágio, que muitas empresas aceitam jovens de até 30 anos ou mais.

      Em relação às pessoas mais velhas que foram demitidas, isso já é um outro ponto totalmente diferente. Muitas vezes essas pessoas ficaram para trás no sentido tecnológico e possuem certa dificuldade em se adaptar. Mais comum ainda é o fato de serem profissionais “mais caros”, por sua vasta experiência, o que faz com que muitas organizações prefiram contratar pessoas mais jovens, sem tanta expertise e, por isso mesmo, que podem trabalhar ganhando menos.

      Esse tema realmente é polêmico, mas a tendência para os próximos anos é de que as relações de emprego e trabalho mudem bastante, a fim de acompanhar as mudanças da era da informação e do compartilhamento.

      • Francisco

        Você vomita mentiras como se fossem verdades, me faz ter nojo de ser brasileiro!

      • http://www.vidadetrainee.com Cintia

        Olá, Francisco! Lamento que veja dessa forma. A função do blog é informar e preparar as pessoas para o mercado de trabalho. Essa questão da idade é polêmica no mundo inteiro, não é apenas no Brasil que há restrições e preconceitos. Abraços