Novidade!

Receba vagas no seu perfil por e-mail

Entrevistas: Por que você quer trabalhar nesta empresa?

12.07.2012 | em Dicas

entrevista emprego labirinto trabalhar empresa trainee

Já escrevi aqui no blog sobre a fase de entrevistas dos programas de trainee, mas não cheguei a comentar em detalhes quais são as perguntas mais comuns desta etapa.

Todos que acompanham o VT já estão cansados de saber que não existe uma resposta certa ou ideal, mas acredito que algumas dicas podem ajudar a “dar um norte” a vocês, desde que, em vez de falas prontas e impessoais, suas respostas transmitam sinceridade e autenticidade.

 

Por que você quer trabalhar nesta empresa?

Parece óbvio, mas só responde bem essa pergunta quem realmente quer trabalhar em uma determinada instituição.

É preciso ter em mente que jamais a sua resposta a essa pergunta poderá ser a mesma para empresas diferentes. Assim, é necessário refletir sobre o que faz com que você prefira a organização em questão e não outra.

Esse aspecto é ainda mais importante para o cargo de trainee, pois sempre acontece de algum candidato aprovado desistir “de repente” da vaga, em pleno processo de admissão, por ter sido convocado pela empresa em que realmente desejava trabalhar.

Desse modo, essa pergunta nunca deve ser respondida de forma vaga e genérica, com frases do tipo:

  • Porque eu quero trabalhar em uma empresa de grande porte e multinacional;
  • Porque aqui há boas oportunidades de crescimento;
  • Por conta do plano de carreira da empresa;

Entendam, não é que vocês não possam falar sobre isso também, mas não só. Imaginem uma conversa entre dois amigos sobre uma viagem de intercâmbio:

João: Por que você escolheu a Inglaterra?
Maria: Porque eu queria viajar para um lugar que falasse inglês.
João: Ora, mas existem vários países que falam esse idioma…
Maria: É que eu também queria ver a neve… Eu nunca vi a neve.
João: Tudo bem, então a Jamaica está fora da lista, mas você ainda poderia ir para muitos lugares, como o Canadá ou os Estados Unidos.
Maria: Ah, mas eu queria estar perto de outros países da Europa, pois sempre quis conhecer o Velho Mundo, com seus castelos medievais, museus, catedrais e sítios históricos.

Viram como no final desse diálogo o motivo ficou muito mais pessoal e específico?

O mesmo raciocínio deve ser aplicado à sua escolha profissional. Existem diversas companhias que são “grandes” ou ainda “multinacionais” e com um excelente plano de carreira, especialmente quando nos referimos àquelas que possuem programas de trainee. No entanto, existem pouquíssimas que fornecem aquele algo a mais que você está buscando.

Portanto, é necessário trazer à tona os diferenciais que tornam aquela empresa única para você. Mais do que isso, é essencial estar preparado para explicar essa percepação em mais detalhes:

Recrutador: Por que você quer trabalhar conosco?
Candidato: Tenho grande admiração por vocês… Consumo os seus produtos desde criança.
Recrutador: É mesmo? Quais produtos? (parece ridículo, mas muitos candidatos citam exemplos de concorrentes)
Candidato: Além disso, eu me identifico muito com os seus valores.
Entrevistador: E com qual valor você mais se identifica e por quê?
Candidato: (cri cri cri = silêncio constrangedor)

Não adianta procurar “respostas prontas” na Internet. É preciso pesquisar de fato sobre a organização, seu segmento de atuação, concorrentes, missão, valores e metas para os próximos anos, pois é assim que você poderá falar sobre como se identifica com a sua cultura e como poderá contribuir para que a companhia alcance os seus objetivos, além de compartilhar suas expectativas em relação ao trabalho que irá desempenhar.

É claro que, para conseguir listar todos esses pontos, é necessário primeiro conhecer a si mesmo. Nunca é demais lembrar que o autoconhecimento é essencial para tudo que se refere à sua carreira.

Por isso, não deixe para fazer toda essa “imersão existencial” na hora da entrevista. Prepare-se para esse momento.

Pode ser que no final das contas nem lhe perguntem isso, mas esse exercício de reflexão é fantástico para que você se lembre porque aquela é mesmo a sua empresa dos sonhos, o que certamente irá lhe deixar ainda mais entusiasmado para o encontro com o recrutador ou gestor.

Porque, na verdade, a resposta em si nem importa tanto assim: o que o entrevistador quer mesmo é ver o brilho dos seus olhos ao responder a essa indagação.

Mais recentes » « Mais antigos

Deixe seu feedback!

  • rosana de fatima queiroz de lu

    Oi na quinta feira irei para entrevista pscocolo vaga: enfermeira – s ela m perguntar pq vc qr trabalhar conosco e q vc tem a oferecer..devo responder..

  • Marcella

    Olá Cintia,
    sua contribuição foi muito esclarecedora, você norteou muito bem a questão sobre como responder uma pergunta tão comum.
    Obrigada!

  • Mane Garrincha

    Aqui em EUA o conceito de trainee eh outro.
    Eh simplesmente um empregado sendo treinado por um periodo curto para desempenhar uma determinada funcao ou aprender um sistema novo.
    Pode ser uma empregado novo como um antigo, tanto faz.
    Eu dou aula numa empresa para coordenadores de marketing que dura 2 semanas e costumo chamar os meus alunos de trainees, mas eles nao sao contratados como tais.
    Aqui em USA nao tem NENHUM aviso de emprego oferecendo vaga de trainee.
    Oh mania de brasileiro de querer ” americanizar” tudo para ficar mais chique.

    • Olá, tudo bem? Pois é, a palavra trainee significa apenas “aquele que está em treinamento”, como explico no artigo: http://www.vidadetrainee.com/o-que-e-trainee/

      No entanto, não se trata de uma “americanização” do termo. Os programas surgiram por aqui há mais de 50 anos, a partir de empresas multinacionais, que trouxeram esse modelo de suas sedes nos EUA e em outros países.

      Do mesmo modo que, nos EUA, a palavra “trainee” pode ser empregada em várias situações, uma delas é justamente para esse tipo de programa, que existe por exemplo nas Big Four (PwC, EY etc).

      • Mane Garrincha

        Sorry honey but I was born & raised in DC and as far as a know “trainee” is an English word.
        So basically what I’m trying to imply here is that I don’t care what you guys do there down in Brazil with your own language.

      • Talvez você não tenha compreendido bem. Eu concordei com você no meu comentário anterior, quando mencionei que de fato a palavra “trainee” é de origem inglesa, e então expliquei que foi exatamente por isso que esse termo começou a ser utilizado no Brasil primeiramente nas multinacionais. Essa “americanização”, como você colocou, foi uma expressão que as empresas importaram de suas sedes no exterior como forma de se referir a seus programas de liderança.

        Eu achei que estava ajudando ao compartilhar o meu conhecimento, que é a própria razão de ser desse blog, mas pelo visto você só queria criticar o Brasil e nossa cultura.

        Espero que no futuro você desenvolva uma postura mais aberta a formas de pensar diferentes da sua, pois esse é um grande diferencial no mercado de trabalho de qualquer parte do mundo.

      • Marcos Grando

        (…)”I don’t care what you guys do there down in Brazil”(…)
        Mané, você sente a necessidade de rebaixar os outros para se sentir superior? Sinto muito por isso. Procure um tratamento psicológico logo.

  • Fernanda

    Oi Cíntia!

    Assim como todos, gostaria de parabenizá-la por um blog tão útil e viciante, confesso! Rsrs

    Estou começando a me preparar para processos seletivos no momento e, até tenho em mente um tipo de resposta legal para essa pergunta em específico. O “problema” é que eu precisaria respondê-la em torno de 4 a 5 minutos, pois envolve todo um raciocínio até provar o porquê dessa minha resposta.

    Gostaria de saber se posso responder uma resposta “tão longa” assim, considerando que há embasamento no que estou falando e a resposta não é monótona? Quero dizer, a minha preocupação está mesmo na questão do tempo de resposta.

    Muito obrigada!
    E sucesso com o blog! Sou super fã!

    • Olá, Fernanda!

      Muito obrigada! Ficamos muito felizes em poder ajudar as pessoas nesse importante momento profissional.

      Eu diria que essa questão de “respostas longas” depende muito da entrevista em si, estilo do recrutador/gestor e ainda quantos candidatos serão entrevistados (quanto tempo há disponível para cada sessão).

      Já no início você poderá perceber se o entrevistador está lhe “cortando” no meio das respostas ou se está permitindo que discorra livremente, e daí você já poderá “sentir” se terá um tempo maior para responder essa pergunta, caso surja.

      De todo o modo, a minha dica é que procure ser clara e objetiva, não precisa ser nada muito “mirabolante”. É claro que, a depender do cargo/área, respostas criativas ou inusitadas “ganham pontos”.

      Abraços e boa sorte!
      Cíntia

  • Mila Franco

    Oi Cíntia! Muito legal o blog!

    Já li bastante sobre a entrevista baseada em competências e realmente não tem nada de advinhação! Fico impressionada quando vou participar de uma dinâmica e os candidatos só repetem o seu CV durante a apresentação pessoal ou dizem ter uma competência qualquer X mas não levam nenhuma situação de vida que exemplifique.

    Bom, recentemente fiz uma seleção e, ao final da dinâmica, a consultoria pediu que escrevéssemos uma redação. O que eles querem avaliar com isso? Seria uma prova de português mesmo, da capacidade de concatenar idéias ou tem algo mais?

    Ah, queria deixar uma sugestão de post: como se preparar para entrevistas em outras linguas. Acho o tema importante por que muitas vezes aprendemos outra lingua em situções que não envolvem trabalho.

    Obrigada e parabéns!

    • Muito obrigada, Mila!

      Realmente, já está mais do que na hora de os candidatos aprenderem a contar suas histórias.

      Em relação à redação, depende da área, da empresa, do recrutador, do gestor e de um monte de fatores. Empresas no segmento de comunicação (ex: editoras), áreas que demandam muito essa habilidade ou mesmo gestores mais exigentes podem querer verificar como os candidatos se expressam e organizam suas ideias.

      Uma outra possibilidade é que o recrutador tivesse interesse em fazer uma avaliação grafológica, o que é mais raro, para ajudar a compor o seu perfil.

      Quanto à sua sugestão, o que temos mais próximo disso é um texto sobre a avaliação oral de inglês nos programas de trainee: http://www.vidadetrainee.com/vt-dicas-avaliacao-oral-de-ingles/

      Espero que ajude!

      Abraços

  • Dalviene Fernandes

    Gostei muito dessa matéria. Parabéns para autora.

  • Mei

    Oi Cíntia!! Muito interessante o teu blog, parabéns pelo trabalho. Concordo que o brilho nos olhos na hora da resposta é importante, pois é o que passa confiança! Obrigada pelas ideias compartilhadas!!

    • Muito obrigada! Continue acompanhando, pois temos várias matérias saindo do forno.

      Abraços

      • Rosangela

        nossa mi ensina!

  • G.FRANZ WAGNER

    Tudo não passa de uma grande CASCATA! Razão assiste ao colega abaixo, quando diz que o R.H. e suas brincadeirinhas idiotas não levam a lugar algum,a não ser atender o ego dos entrevistadores igualmente idiotas, que se acham a ultima coca cola do deserto, deuses do Olimpo.Aliás o R.H. no Brazil ( com Z mesmo) está falido a muito tempo.Desde que aquele camarada Ricardo Semler, resolveu implantar novas formulas pitorescas e cientifícas de formação profissional.Formulas tão boas, que a própria empresa FALIU!

    • Olá! Entendo a sua frustração, mas recomendo que busque estudar mais sobre o assunto, preparando-se com seriedade para seleções, mesmo que no fundo ache que é tudo uma “palhaçada”. Você pode se surpreender positivamente. Se não, pelo menos estará mais preparado e aumentará suas chances de conseguir a vaga que deseja.

      Abraços

  • thaynara

    Olá Cintia, estou tentando realizar o meu cadastro do currículo para concorrer a vaga de Trainee da JBS, mas estou com dúvidas quanto a responder as perguntas discursivas do tipo; ”pontos importantes sobre a sua história de vida”; ”Conte uma situação de “crise” que marcou a sua história de vida; ”liste pontos em comum com a história da JBS”.

    • Olá, Thaynara.

      Esses tipos de pergunta demandam bastante reflexão e autoconhecimento. Recomendo que primeiramente reflita sobre a sua trajetória para responder os 2 primeiros pontos e depois pesquise bastante sobre a empresa, buscando traçar paralelos com a sua própria história. De repente a fase deles de maior expansão foi um período em que você também começou a expandir seus horizontes com viagens, o início de um curso, e por aí vai.

      Abraços

      • Thynara

        Obrigada, pela dica. E espero que daqui um tempo eu volte e te dou uma boa notícia.

        Abraço!

      • Olá, Thynara! Tomara que sim! Estamos na torcida!

        Abraços

  • Entei

    Nao quero desmerecer seu trabalho, mas para mim isso tudo é uma grandissíssima baboseira.
    A realidade meus amigos é que o entrevistador tem que gostar de voce, desde que voce nao faça nenhum tipo de coisa besta, é garantido que voce vai passar….isso nao é ciencia exata, se fosse assim mesmo como a nossa amiga Cintia falou teriamos trainees por todos os lados, uma vez que essa informação esta aberta a todos.
    O RH em geral é um enorme amontoado de incopetentes que tentam através de dinâmicas de grupo e paineis ( babaquice pura) selecionar os candidatos mais “aptos”.
    Nunca vi departamento mais ineficiente que o RH , perdem fichas de candidatos, erram pagamentos,erram beneficios de forma quase sistemática, assim como um paciente que esta em estado de morte certa tem cada um de seus orgãos falhando sequencialmente.
    Ainda se julgam capazes de decidir se uma pessoa é capaz ou não de assumir uma vaga com brincadeiras ( dinamicas de grupo ) que muitas vezes levam os candidatos ao puro constrangimento ( por exemplo elaborar musiquinhas, pegar coisas no chao sem usar as maos dentre outras babaquices).
    Depois vem o Painel, nao importa a vaga que voce vai concorrer, se é técnica,comercial, ou qualquer outra o painel é sempre sobre negocios ( uma empresa que precisa arrumar uma estratégia para crescer), bem criativo né?Aliás bem adequado!Estou concorrendo para uma vaga técnica e vou ser avaliado com base no meu desempenho em um case de negocios.
    É tanta babaquice, é tanta incopetencia , é tanta falta de profissionalismo dessas pessoas que eu fico enojado só em falar sobre tal.
    Mais uma vez quero dizer que nao tenho nada contra a gerente do site, ela pode ser uma boa profissional (RARÌSSIMO nesse campo como ja comentei), apenas quero abrir um pouco a mente daqueles que estao começando agora a trilhar o amargo caminho de processos seletivos.
    Não se assustem, é desse jeito mesmo……

    c’est la vie

    • Puxa! Uma pena você pensar dessa forma. Imagino que você tenha tido experiências muito ruins.

      O que eu posso lhe dizer é que eu já atuei nessa área no Nordeste, em São Paulo e no Canadá, e já vi muitos processos bem conduzidos e mal conduzidos.

      Não existe “garantia” em nenhuma situação e em momento nenhum eu disse que o candidato será aprovado apenas pela resposta a essa pergunta. O que eu tento aqui é desmistificar os processos e mostrar o que está sendo avaliado e como.

      Mesmo com toda essa “informação aberta”, uma pessoa ainda pode se sair mal ao responder a pergunta, pois aqui eu não dei nenhuma resposta “pronta”. O candidato é que terá de refletir sobre todos os pontos que eu levantei e fazer a sua própria construção.

      Eu não sei por que empresas você passou para ter uma imagem tão ruim do RH, mas o que eu posso dizer é que esse é um setor sujeito a falhas como qualquer outro.

      Esse tipo de dinâmica que você citou, com “brincadeiras”, é cada vez mais rara em um processo sério de seleção, especialmente aqueles que envolvem a contratação de trainees.

      Eu lembro que os programas de trainee são voltados para talentos com potencial de se tornarem executivos nas empresas, o que faz com que sejam necessariamente generalistas. Eu já tive um diretor de RH que era um engenheiro e cuja função anterior era de gerente de produção em uma fábrica.

      Em uma entrevista, o RH avalia perfil, competências, comportamento. A parte técnica, se for essencial para a função, será avaliada por meio de testes ou pelo próprio gestor quando entrevistar o candidato.

      Mesmo no caso de programas de trainee mais técnicos, voltados para a formação de especialistas, a empresa continua buscando perfil, pois a parte técnica é muito mais fácil de desenvolver, o que ocorrerá durante todos os treinamentos do programa. Já a parte comportamental é que mais dá “dor de cabeça” e é o principal motivo de demissões.

      Lamento que você tenha uma referência tão negativa da área, mas recomendo que pesquise e leia mais sobre o assunto, utilizando-se inclusive de fontes estrangeiras, para compreender melhor os estudos por trás das dinâmicas de grupo e outras avaliações, em vez de ficar no “achismo” de que é “pura babaquice”, pois assim você está desmerecendo o trabalho de toda uma categoria profissional. É como dizer, por exemplo, que fazer terapia é estúpido, o que seria no mínimo ter uma visão bastante limitada do mundo.

      Espero que no futuro você tenha diversas oportunidades de perceber que estava errado, por meio de boas experiências tanto em seleções quanto dentro das empresas.

      • Entei

        Cintia,
        Espero que voce nao tenha se ofendido com meu “desabafo”, esse não era e nunca foi o objetivo.
        Com relação a ineficiência dos departamentos de RH em geral, nao foram apenas as minhas experiencias que me fizeram perceber isso.
        Amigos, amigas, conhecidos, uma grande parcela de meus contatos pessoais e profissionais passaram por situações horriveis na mãos dessas pessoas.
        Situações essas que vao desde o erro do nome do superior de uma empregado até o não pagamento de salários e benefícios.
        Eu até entendo que as pessoas erram, isso é algo normal, o problema é a frequência com que esses erros ocorrem, bem como a gravidade que eles exercem sobre a vida das pessoas.
        Erros banais como a falta de pagamento de salários, perda de fichas e documentos, são coisas que nao deveriam NUNCA ocorrer em qualquer departamento , quanto mais no RH que é responsável por gerir os empregados.
        Agora , no que diz respeito a minha aversão a esses processos seletivos instaurados nas empresas,posso lhe garantir que ela nao advém exclusivamente das minhas infelizes experiencias e situações pelas quais passei, é pura e simplismente uma conclusão lógica que cheguei.Vou esclarecer.
        Segundo esses profissionais, são necessários algumas horas para se selecionar os cadidatos mais aptos para as vagas de acordo com uma série de procedimentos aplicados por eles.
        Como uma pessoa pode conhecer a outra e dizer se ela esta apta ou não para entrar em uma vaga com apenas poucas horas para analisá-la?existem casais que estao casados a anos e nao conhecem completamente um ao outro!Não me venha com baboseiras do tipo “ahh mas voce nao conhece os estudos.”Que estudos eu pergunto?? voce mesmo confessou que isso nao é uma ciencia exata, o resultado obtido ali nao pode ser aplicado acolá.
        Se profissionais de RH fossem tao bons em se descobrir o perfil de uma pessoa, jamais escolheriam um parceiro que lhes fosse ruim, ja que em um curto espaço de tempo seriam capazes de traçar o perfil dessa pessoa e saber facilmente se aquela´pessoa é adequada ou não para se ter um relacionamento sério.nós dois sabemos que voces nao sao capazes de fazer isso, por que entao seriam para descobrir o “perfil” de um profissional??Sinceramente me parece um tanto quanto prepotente esse tipo de comportamento se me permite analisar.
        Vocês pensam que podem distinguir entre um mentiroso ,dissimulador e uma pessoa que diz a verdade, mas sabem que no fundo isso é mentira, se agarram a parcos trabalhos cientificos, que como ja explicitei acima possuem resultados um tanto quanto questionáveis ja que como foi salientado isso nao se trata de uma ciencia exata.Ou voce realmente acredita que ,por exemplo,olhar para cima realmente significa que a pessoa esta pensando em algo???
        Faça-me o favor!

      • Olá!

        Entendo perfeitamente a sua frustração. Como vários outros departamentos, o RH tem muito a melhorar. Do mesmo modo que um erro no sistema faz com que um funcionário não receba o salário, fornecedores deixam de receber o pagamento pelo mesmo motivo, assim como clientes que continuam a ser cobrados mesmo depois de pagar ou mesmo contas que não são enviadas. São erros graves, concordo, mas fazem parte da falta de organização do Brasil como um todo. Mas estamos evoluindo.

        Costumamos dizer que a dinâmica de grupo é uma “foto” sua daquele momento. Naquele dia, naquelas circunstâncias, você não demonstrou ter algumas das competências desejadas, o que não quer dizer de forma alguma que você não as possua.

        Certamente muitos candidatos excelentes perdem a chance de seguir no processo por não estarem em um bom dia ou outro motivo, mas os recrutadores trabalham para que os candidatos que avançam estejam dentro do perfil. E é por isso que existem várias fases, para que em cada oportunidade mais um ponto seja confirmado/avaliado.

        Não existe um perfil perfeito. Existe o perfil que o gestor está buscando para a vaga, para completar o seu time. Pode ser que naquele momento ele precise de uma pessoa mais analítica e cuidadosa, ou ainda de alguém mais ousado e decidido.

        Essa história de “olhar para cima” ou seja para que lado for é bobagem, é coisa da “mídia”. Ninguém avalia um candidato por “olhares”, “braços cruzados” ou esse tipo de coisa. A postura como um todo é analisada. Não há problema em olhar para baixo, por exemplo, desde que não passe a entrevista inteira olhando para o chão, pois o contato visual é importante ao se comunicar com outra pessoa.

        E de modo algum podemos saber se alguém está mentindo. Podemos sim perguntar o máximo de detalhes possível e depois buscar contato com referências, para saber se a pessoa realmente exerceu aquela função, por exemplo.

        Eu não tenho mais atuado na área de Recrutamento, mas conheci muitos profissionais competentes.

        No mais, eu não posso mudar a sua opinião. Quando eu sugeri que pesquisasse mais sobre o assunto, foi justamente para que pudesse entender melhor que não temos essa “prepotência” toda que você imagina, simplesmente porque não “descobrimos um perfil” da forma que você pensa.

        Mesmo que você nunca trabalhe com RH, um dia você poderá se tornar um gestor, e terá de entrevistar candidatos para a sua equipe. Você pode contratar o profissional mais capacitado tecnicamente, mas ainda assim poderá ter muita dor de cabeça com o comportamento inadequado dele. Se você aprender técnicas de entrevista, como a entrevista por competências, por exemplo, não terá garantias de que acertará sempre, mas errará menos, e terá um time mais próximo do que você deseja.

      • JANA JANA

        Vou contar sobre uma vaga em que me candidatei. Foram 2 dias de entrevistas, provas e dinâmicas, algumas ate engraçadas, outras péssimas e constrangedoras. O resultado? Fiquei sabendo através de um conhecido que trabalhou na empresa, que as pessoas que seriam selecionadas seriam as mulheres solteiras porque a intensão dos rapazes era sair com elas e zoar plantão. Decepcionante! Tenho muitas outras experiencias desagradáveis. Cheguei a pensar exatamente como o colega acima, mas existem empresas e profissionais sérios também. Porem, acredito que os profissionais de RH consigam avaliar o perfil de uma pessoa superficialmente, mas dai a estabelecer a capacidade daquela pessoa para uma função, ai já sou bem descrente.

        Cintia,
        Sua matéria me ajudou muito.
        Obrigada!

      • Obrigada, Jana!

        Uma pena você ter tido experiências tão ruins! Em relação ao RH “estabelecer a capacidade de uma pessoa para uma função”, não é exatamente esse o objetivo. Para se avaliar capacidade técnica, existem testes técnicos. O recrutador busca avaliar questões comportamentais, como postura/atitude em determinadas situações, habilidade de relacionamento interpessoal e trabalho em equipe, entre outros.

        Abraços

      • Italo Menezes

        Amigo, de fato não se trata de uma ciência exata, mas sim de uma ciência humana. O RH e a Psicologia estão inseridos no rol das ciências humanas e, como nós sabemos, humano algum é igual ao outro e muito menos previsíveis. Só gostaria de deixar claro que esses processos, pelo menos a maioria deles, são, ou deveriam ser, processos embasados na ciência da psicologia. A dinâmica de grupo é uma técnica científica utilizada pela psicologia para se compreender processos grupais e individuais no contexto social. Dessas dinâmicas pode-se tirar inúmeros fatores a respeito dos participantes, so que, como foi dito, não é uma ciência exata, pois se trata de seres humanos, ímpares e complexos, mas essa técnica ajuda sim no processo seletivo, uma vez que esta tem um longo histórico teórico-prático de construção e desenvolvimento científico. Sou estudante de psicologia e conheço um pouco de tudo isso que falei, estão embasados em ciência!! Tudo bem, respeito o seu ponto de vista, so te convido a estudar mais sobre o assunto.
        Outra coisa que gostaria de me posicionar é que, infelizmente, em um pais como o Brasil, carregado de uma cultura de corrupção, existem muitos processos falhos e mentirosos apenas para comprovar que foram feitos quando na verdade um dos candidatos tem influência com os recrutadores que burlam o processo. O exemplo que a colega trouxe (JANA JANA) é um caso deles. Um processo nada sério, de uma empresa desmantelada e corrupta. Abraço
        E Cintia, estou gostando muito do blog, parabéns!

    • tânia

      Na minha opinião perde-se muito profissional realmente bom por causa dessa babaquice de dinâmicas de grupo e entrevistas q visam conhecer o candidato perguntando sobre suas qualidade e defeitos.Também concordo q o escolhido acaba sendo aquele com quem o último entrevistador foi com a cara. Já participei de muita entrevista e nunca passei em nenhuma. No entanto fui 1º lugar de três concursos públicos e hoje também sou dona do próprio negócio. Na hora de contratar funcionário a única exigência que faço é que ele não seja do tipo estourado, encrenqueiro e que desobedeça ordens. Nem ligo muito se ele tem alto nível de instrução como pós graduação, mestrado, etc.

    • Simone

      Nunca li paragráfos mais sensatos do que li acima, penso igual, e estou decepcionada com pessoas de Rh e selecionadores, que te escolhem por idade, beleza ou por QI quem “indica”. Essas dinâmicas nada dizem sobre a competência de um profissionnal.

  • Amauri Andrade

    Olá, Cíntia gostei muito do seu site tirei minhas dúvidas sobre o que estava querendo, parabéns.

    • Muito obrigada, Amauri! Seja bem-vindo!

  • Mayara Furtado

    Oi, tudo bem? Tenho que fazer uma redação sobre ” Meu interesse no pré vestibular social ” gostaria de pedir sua ajuda

    • Olá, Mayara! Vou dizer o mesmo que disse à Joice, que também fez a mesma pergunta.

      Procure responder perguntas como: Por que você tem interesse no projeto? Por que acha ele bacana? Você sempre foi aplicada nos estudos? Quando começou a estudar mais? Foi por causa de um professor, de uma matéria específica ou outro motivo? E quais são os seus planos? O que você quer ser quando crescer? O que pretende estudar e em que pretende atuar depois que se formar?

      Depois é só estruturar esses tópicos em texto corrido, na forma de parágrafos. Um contando sobre o projeto, outro sobre você e um final sobre como o projeto pode lhe ajudar a conquistar seus sonhos/planos.

      Essa é apenas uma sugestão. Você pode aproveitar essa estrutura e mudar o que achar necessário.

      Abraços

  • Felipe Rocha Zamuner

    Olá Cintia,

    Muito obrigado e parabéns pelo material.

    Com certeza ajudará muitos jovens que buscam por oportunidades mais desafiadoras no mercado de trabalho.

    Att.

    Felipe

    • Muito obrigada, Felipe! Estamos aqui pra isso! rs

      Abraços

  • Marciane

    Cintia, as entrevistas são conduzidas em que idioma? Sei que é importante falarmos outro idioma, inglês principalmente, mas JBS pede nivel de inglês intermediário,
    isso é para entrevista ou no caso de job internacional?

    • Olá, Marciane!

      Normalmente as empresas colocam o inglês nos pré-requisitos por ele ser necessário em atividades do dia a dia, como na comunicação (troca de e-mails) e envio de relatórios para unidades da empresa no exterior.

      Geralmente, quando a empresa também realiza etapas em inglês, o candidato é informado. Mas é claro que também nada impede que, no meio da entrevista, o gestor dispare uma ou duas perguntas em inglês para ver como o candidato “se vira”.

  • Joice

    Olá Cintia!
    Preciso de sua ajuda.Eu vou me inscrever em um Pré-vestibular social, e eles pediram pra fazer um texto de no máximo 30 linhas, na qual eu tenha que relatar o meu interesse no Pré-Vestibular Social, a minha história como estudante e os meus planos.Como eu posso fazer essa redação e o que eu devo contar na parte da “minha história”?

    • Olá Joice! O primeiro passo é procurar responder na forma de tópicos essas perguntas que você colocou. Por que você tem interesse no projeto? Por que acha ele bacana? Você sempre foi aplicada nos estudos? Quando começou a estudar mais? Foi por causa de um professor, de uma matéria específica ou outro motivo? E quais são os seus planos? O que você quer ser quando crescer? O que pretende estudar e em que pretende atuar depois que se formar?

      Depois é só estruturar os tópicos em texto corrido, na forma de parágrafos. Um contando sobre o projeto, outro sobre você e um final sobre como o projeto pode lhe ajudar a conquistar seus sonhos/planos.

      Essa é apenas uma sugestão. Você pode aproveitar essa estrutura e mudar o que achar necessário.

      Abraços

  • luana

    oii Cintia td bem?
    eu preciso de uma ajuda por favor mim ajude..
    eu preciso fazer uma redaçao pq eu quero entrar na empresa?

    • Olá, Luana! Para fazer a redação, recomendo que pesquise sobre a empresa e analise os motivos pelos quais gostaria de trabalhar nela. Então elabore um rascunho com um parágrafo sobre você, outro sobre os pontos que mais lhe chamam atenção na empresa e um fechamento sobre porque vocês combinam um com o outro e como você pode contribuir para a empresa.

      Abraços

  • Stephany

    Eu preciso fazer um redação com o tema: Por que você gostaria de conseguir essa vaga no curso?”. Queria muito que você me ajudasse, obg.

    • Olá Stephany,

      Em uma redação como essa, é interessante explicar o que mais lhe atrai no curso, que carreira você pretende seguir a partir dele, porque você acha que combina com ele (suas afinidades e características etc). Espero ter ajudado. Abraços

  • tay

    ola Cintia vou preencher a ficha da taco me da umas dicas!

    • Olá! Olha, não é bem assim que funciona. O objetivo é que você pesquise as informações sobre a empresa e descubra porque se identifica com ela. É algo muito pessoal. Recomendo que releia o artigo e outros materiais para se preparar melhor.

      Abraços

  • ana carolina

    ola Cintia meu nome ana carolina eu tenho muita dificudade de
    responder essa pergunta : pq vc que trabalhar em tao empresa ?
    eu nao consigo falar muito me ajuda .
    obrigada

    • Olá, Ana!

      É como eu falo no post. É importante que você pesquise o máximo de informações sobre a empresa e avalie por que você se identifica com ela. Investigue o ramo de atuação, cultura, jeito de trabalhar, plano de carreira, a sua função, desafios e liste todos os pontos que lhe atraem e chamam a sua atenção.

      Abraços

  • lais

    a essa pergunta acima,quando se trata de uma loja de roupa que se localiza no centro da cidade o que eu posso responder?´será meu primeiro emprego.

    • Oi Lais, não existe uma resposta certa, nem respostas específicas para cada segmento de empresa e local. O que você precisa fazer é estudar as características dessa empresa, ver porque ela combina com você e pensar em todos os benefícios que ela pode trazer pra você e você para ela.

      Abraços e boa sorte

  • JÔDE VECTURÍNE

    Olá, Cintia! Também passei por todas as etapas de processo de seleção do programa trainee de negócios da NASSAU (no total foram 9 aprovados de 1000) e no final da entrevista a coordenadora ficou de ligar para todos do final de dezembro de 2012 para o começo de janeiro de 2013 para dar o resultado de qual dos 9 tinha passado e hoje já é dia 16/01/2013 e até agora não ligaram. A minha dúvida é se devo ligar para saber o resultado ou esperar até o final de janeiro? Tenho medo de ligar e parecer muito ansioso. E eles ficaram de ligar até mesmo para dizer quem não passou.

    • Olá! Olha, se eles prometeram dar o resultado até o final de 2012, você pode entrar em contato com eles sim. Afinal, já se passaram 15 dias (as pessoas já estão voltando dos recessos).

      Caso eles não tenham um retorno ainda, de forma educada pergunte sobre a previsão.

      Abraços

  • Olá, Leonardo! Recomendo que pesquise sobre a empresa e descubra o que mais gosta nela e porque se identifica com ela e a oportunidade.

    Mostre no texto esses pontos e também como você pode contribuir com a empresa.

    Abraços

  • lony

    Ola tudobem? estou com uma certa duvida entao quando o entrevistador me pergunta por que desejo trabalha nesta qualmelhor resposta?

    • Olá, Iony! Este post foi exatamente sobre esse tema. Não existe “melhor” resposta. O primeiro passo para responder essa pergunta é querer de fato trabalhar na empresa.

      Abraços

  • Olá Cintia, passei no programa trainee de negocios da nassau, a minha entrevista é daqui alguns dias. Estou com algumas duvidas:
    1-Eles pediram para que levasse documentos originais e cópias, pra que?
    2-A entrevista será em grupo, e ai, tem ideia de como funciona?
    Obrigada

    • Olá, Cinthia!

      Você já foi aprovada no programa ou está na fase de entrevista final?

      1- Esses documentos costumam ser solicitados na fase de contratação, mas pode ser que eles tenham pedido antes para confirmar os seus dados (formação, período etc) ou então pode ser que a entrevista seja só para “fechar” o que já está certo.

      2- As entrevistas em grupo costumam ter vários candidatos e entrevistadores e podem ser conduzidas de várias formas. Em geral, algumas perguntas são comuns a todos e outras são direcionadas.

      Abraços

      • Cintia, Estou na ÚLTIMA fase do programa. Será o dia inteiro com testes comportamentais e esta entrevista em grupo. O que me instiga é solicitar meus documentos para preecher um formulário de emprego. Não entendi muito.
        Os documentos solicitados foram: Rg, CPF, titulo eleitoral, carteira de trabalho, declaração da faculdade. Adoraria crer que já estivesse certo, mas há outras possibilidades , não é?

      • Oi Cinthia!

        Acredito que, devido ao tempo que passou, você já tenha a resposta para essa pergunta.

        De qualquer forma, ao mesmo tempo que as empresas só costumam solicitar a documentação depois da aprovação, elas também podem pedir antes, até porque, na maioria das vezes, a “admissão” também está inclusa no processo seletivo.

        É mais uma medida de prevenção, pois às vezes os candidatos não passam todas as informações corretamente (por exemplo, a formação ainda não foi concluída). Então os documentos podem ser solicitados para verificação do que foi informado, bem como para referências.

        Abraços

  • Juan

    sua linda! [3] parabens! [2] rs você é psicologa ? é casada ?

    • Oi Juan! Obrigada pelos elogios! Eu sou formada em Administração e sou comprometida. rs

  • Parabéns pela iniciativa! Excelente post.

    • Muito obrigada, Luan! Sinta-se à vontade para fazer sugestões.

      Ah! E as palestras on-line que estou realizando este mês também irão falar sobre a fase de entrevistas.

      Link: http://bit.ly/palestrasvt

      Abraços

  • Obrigada, Luis! Vou dar uma olhada no artigo.

    • Nayguel Oliveira

      Vc quer namorar comigo Cintia?!

      • Oi Nayguel, vou entender isso como um elogio… mas sou comprometida

      • Nety

        Preciso de ajuda! 🙁

      • Olá! Do que você precisa?

      • Nety

        oi, estou desempregada faço tanta entrevista e não passo, gostaria de saber como responder essa pergunta por que vc gostaria de trabalhar nessa empresa?

        2013/8/8 Disqus

      • Olá, Nety.

        Como explicado no artigo, essa é uma resposta muito pessoal e que não é mesma para todas as empresas.

        Recomendo que estude esse e outros artigos sobre o tema e trabalhe na sua postura e qualificação profissional.

      • Nety

        obrigada meu bem, Deus abençoe
        seu trabalho é uma maravilha!

        Em 13 de agosto de 2013 13:02, Disqus escreveu:

      • Obrigada, Nety! Boa sorte nas entrevistas!

      • mariana

        oi @reinaux:disqus eu vou fazar um entrevista e eles vao fala para mim fazer uma redaçao – (como familias e amigo fala de voce) uque eu tenho que escreve na redaçoa de 15 linha ..voce pode me ajuda
        meu email- mariana@almeidacf@hotmail.com

        obrigada …
        mariana de almeida

      • Olá Mariana!

        Em uma redação assim é interessante falar sobre as suas características mais marcantes e como você as demonstra no convívio familiar e entre amigos. Também é importante se preocupar com a ortografia e gramática, para que o texto seja correto e de fácil leitura.

        Abraços

      • Mateus

        Oi Cíntia, eu sou o Mateus e enviei ontem um comentário no tópico do “QI”. Estou lendo todos os textos do seu portal e não posso deixar de aproveitar a pergunta “abusada” do Nayguel pra fazer uma piada-reflexão: se as pessoas contratassem o RH para escolher seus parceiros, com direito a dinâmicas/painéis/entrevistas, muitos casais estariam vivendo em plena fidelidade e sem divórcio. Você, querida, abriu esse processo de escolha do seu parceiro com plena divulgação ? Sem QI henn rss. Parabéns por tudo que escreve, pela leveza das suas palavras é possível perceber a paz do seu espírito e a sua felicidade na vida. Grande abraço!

      • Oi Mateus! Acabei de responder o outro comentário que você fez.

        Bem, quando se trata de amor e relacionamento, é tudo um pouco mais subjetivo e “fora” da lógica, né? Afinal, se uma “seleção” desse tipo realmente desse certo, os casamentos arranjados ainda seriam uma realidade na maior parte do mundo, não é mesmo?

        Já o meu processo de “escolha do parceiro” correu como “vaga confidencial”, sem muito barulho, e já foi fechado há muitos anos.

        Muito obrigada novamente pelo carinho. Já passei por muita coisa na vida (apesar da pouca idade), mas hoje realmente vivo um momento de muita paz e felicidade.

        Um grande abraço e sucesso!

  • Mais um excelente artigo Cíntia! Realmente falta muitos candidatos utilizarem a ferramenta ou técnica de se fazer 5 x porquês. Se de alguma forma contribuir, acho que vale como complemento o link: http://www.qualidadebrasil.com.br/noticia/o_5_por_ques_e_a_causa_raiz