Entrevistas: Por que você quer trabalhar nesta empresa?

12.07.2012 | em Dicas

entrevista emprego labirinto trabalhar empresa trainee

Já escrevi aqui no blog sobre a fase de entrevistas dos programas de trainee, mas não cheguei a comentar em detalhes quais são as perguntas mais comuns desta etapa.

Todos que acompanham o VT já estão cansados de saber que não existe uma resposta certa ou ideal, mas acredito que algumas dicas podem ajudar a “dar um norte” a vocês, desde que, em vez de falas prontas e impessoais, as respostas transmitam sinceridade e autenticidade.

 

Por que você quer trabalhar nesta empresa?

Parece óbvio, mas só responde bem essa pergunta quem realmente quer trabalhar em uma determinada instituição.

É preciso ter em mente que jamais a sua resposta a essa pergunta poderá ser a mesma para empresas diferentes. Assim, é necessário refletir sobre o que faz com que você prefira a organização em questão e não outra.

Esse aspecto é ainda mais importante para o cargo de trainee, pois é bastante comum que finalistas aprovados desistam do processo por conta da aprovação em outras empresas.

Desse modo, não se deve responder de forma vaga e genérica, com frases do tipo:

  • Porque eu quero trabalhar em uma empresa grande e multinacional;
  • Porque aqui há boas oportunidades de crescimento;
  • Por conta do plano de carreira que vocês oferecem;

Entendam, não é que vocês não possam falar sobre isso também, mas não só. Imaginem uma conversa entre dois amigos sobre uma viagem de intercâmbio:

João: Por que você escolheu a Inglaterra?

Maria: Porque eu queria viajar para um lugar que falasse inglês.

João: Ora, mas existem vários países que falam esse idioma…

Maria: É que eu também queria ver a neve… Eu nunca vi a neve.

João: Tudo bem, então a Jamaica está fora da lista, mas você ainda poderia ir para muitos lugares, como o Canadá ou os Estados Unidos.

Maria: Ah, mas eu queria estar perto de outros países da Europa, pois sempre quis conhecer o Velho Mundo, com seus castelos medievais,  museuscatedrais e sítios históricos.

Viram como no final o motivo ficou mais pessoal e específico?

O mesmo raciocínio deve ser aplicado à sua escolha profissional. Existem diversas companhias que são grandes, multinacionais e com um excelente plano de carreira, especialmente quando nos referimos àquelas que oferecem programas de trainee, mas existem pouquíssimas que oferecem aquele algo a mais que você está buscando.

Portanto, é necessário trazer à tona os diferenciais, tudo o que torna aquela empresa única para você. Mais do que isso, é essencial estar preparado para fornecer mais informações:

Entrevistador: Por que você quer trabalhar conosco?

Candidato: Tenho grande admiração por vocês… Consumo os seus produtos desde criança.

Entrevistador: É mesmo? Quais produtos? [parece ridículo, mas muitos candidatos citam exemplos de concorrentes]

Candidato: Além disso, eu me identifico muito com os seus valores.

Entrevistador: Bacana! E com qual valor você se identifica mais e por quê?

Candidato: [cri cri cri = silêncio constrangedor] 

Não adianta procurar respostas prontas na Internet. É preciso de fato pesquisar bastante sobre a organização, o seu segmento de atuação, concorrentes, missão, valores e metas para os próximos anos, pois é assim que você poderá falar sobre como se identifica com a cultura e como poderá contribuir para que a companhia alcance os seus objetivos, além de suas expectativas em relação ao trabalho.

É claro que, para conseguir listar todos esses pontos, é necessário primeiro conhecer a si mesmo. Nunca é demais lembrar que o autoconhecimento é essencial para tudo que se refere à carreira.

Por isso, não deixe para fazer toda essa imersão existencial na hora da entrevista. Prepare-se para esse momento.

Pode ser que no final das contas nem lhe perguntem isso, mas esse exercício de reflexão é fantástico para que você se lembre porque aquela é mesmo a sua empresa dos sonhos, o que certamente irá lhe deixar ainda mais entusiasmado para o encontro com o recrutador ou gestor.

Porque, na verdade, a resposta em si nem importa tanto assim: o que o entrevistador quer mesmo é ver o brilho dos seus olhos ao responder a essa indagação.

Compartilhe!

Cíntia Reinaux

Cíntia Reinaux tem 29 anos e um orgulho danado de ser pernambucana. A administradora apaixonada por RH criou o Vida de Trainee em fevereiro de 2010. Desde então, dedica parte de seu tempo para ajudar outros jovens como ela a refletir sobre suas carreiras.

Twitter - Facebook - Google Plus - Linked In - RSS
Mais antigos » « Mais recentes

Deixe seu feedback!

  • thaynara

    Olá Cintia, estou tentando realizar o meu cadastro do currículo para concorrer a vaga de Trainee da JBS, mas estou com dúvidas quanto a responder as perguntas discursivas do tipo; ”pontos importantes sobre a sua história de vida”; ”Conte uma situação de “crise” que marcou a sua história de vida; ”liste pontos em comum com a história da JBS”.

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Olá, Thaynara.

      Esses tipos de pergunta demandam bastante reflexão e autoconhecimento. Recomendo que primeiramente reflita sobre a sua trajetória para responder os 2 primeiros pontos e depois pesquise bastante sobre a empresa, buscando traçar paralelos com a sua própria história. De repente a fase deles de maior expansão foi um período em que você também começou a expandir seus horizontes com viagens, o início de um curso, e por aí vai.

      Abraços

  • Entei

    Nao quero desmerecer seu trabalho, mas para mim isso tudo é uma grandissíssima baboseira.
    A realidade meus amigos é que o entrevistador tem que gostar de voce, desde que voce nao faça nenhum tipo de coisa besta, é garantido que voce vai passar….isso nao é ciencia exata, se fosse assim mesmo como a nossa amiga Cintia falou teriamos trainees por todos os lados, uma vez que essa informação esta aberta a todos.
    O RH em geral é um enorme amontoado de incopetentes que tentam através de dinâmicas de grupo e paineis ( babaquice pura) selecionar os candidatos mais “aptos”.
    Nunca vi departamento mais ineficiente que o RH , perdem fichas de candidatos, erram pagamentos,erram beneficios de forma quase sistemática, assim como um paciente que esta em estado de morte certa tem cada um de seus orgãos falhando sequencialmente.
    Ainda se julgam capazes de decidir se uma pessoa é capaz ou não de assumir uma vaga com brincadeiras ( dinamicas de grupo ) que muitas vezes levam os candidatos ao puro constrangimento ( por exemplo elaborar musiquinhas, pegar coisas no chao sem usar as maos dentre outras babaquices).
    Depois vem o Painel, nao importa a vaga que voce vai concorrer, se é técnica,comercial, ou qualquer outra o painel é sempre sobre negocios ( uma empresa que precisa arrumar uma estratégia para crescer), bem criativo né?Aliás bem adequado!Estou concorrendo para uma vaga técnica e vou ser avaliado com base no meu desempenho em um case de negocios.
    É tanta babaquice, é tanta incopetencia , é tanta falta de profissionalismo dessas pessoas que eu fico enojado só em falar sobre tal.
    Mais uma vez quero dizer que nao tenho nada contra a gerente do site, ela pode ser uma boa profissional (RARÌSSIMO nesse campo como ja comentei), apenas quero abrir um pouco a mente daqueles que estao começando agora a trilhar o amargo caminho de processos seletivos.
    Não se assustem, é desse jeito mesmo……

    c’est la vie

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Puxa! Uma pena você pensar dessa forma. Imagino que você tenha tido experiências muito ruins.

      O que eu posso lhe dizer é que eu já atuei nessa área no Nordeste, em São Paulo e no Canadá, e já vi muitos processos bem conduzidos e mal conduzidos.

      Não existe “garantia” em nenhuma situação e em momento nenhum eu disse que o candidato será aprovado apenas pela resposta a essa pergunta. O que eu tento aqui é desmistificar os processos e mostrar o que está sendo avaliado e como.

      Mesmo com toda essa “informação aberta”, uma pessoa ainda pode se sair mal ao responder a pergunta, pois aqui eu não dei nenhuma resposta “pronta”. O candidato é que terá de refletir sobre todos os pontos que eu levantei e fazer a sua própria construção.

      Eu não sei por que empresas você passou para ter uma imagem tão ruim do RH, mas o que eu posso dizer é que esse é um setor sujeito a falhas como qualquer outro.

      Esse tipo de dinâmica que você citou, com “brincadeiras”, é cada vez mais rara em um processo sério de seleção, especialmente aqueles que envolvem a contratação de trainees.

      Eu lembro que os programas de trainee são voltados para talentos com potencial de se tornarem executivos nas empresas, o que faz com que sejam necessariamente generalistas. Eu já tive um diretor de RH que era um engenheiro e cuja função anterior era de gerente de produção em uma fábrica.

      Em uma entrevista, o RH avalia perfil, competências, comportamento. A parte técnica, se for essencial para a função, será avaliada por meio de testes ou pelo próprio gestor quando entrevistar o candidato.

      Mesmo no caso de programas de trainee mais técnicos, voltados para a formação de especialistas, a empresa continua buscando perfil, pois a parte técnica é muito mais fácil de desenvolver, o que ocorrerá durante todos os treinamentos do programa. Já a parte comportamental é que mais dá “dor de cabeça” e é o principal motivo de demissões.

      Lamento que você tenha uma referência tão negativa da área, mas recomendo que pesquise e leia mais sobre o assunto, utilizando-se inclusive de fontes estrangeiras, para compreender melhor os estudos por trás das dinâmicas de grupo e outras avaliações, em vez de ficar no “achismo” de que é “pura babaquice”, pois assim você está desmerecendo o trabalho de toda uma categoria profissional. É como dizer, por exemplo, que fazer terapia é estúpido, o que seria no mínimo ter uma visão bastante limitada do mundo.

      Espero que no futuro você tenha diversas oportunidades de perceber que estava errado, por meio de boas experiências tanto em seleções quanto dentro das empresas.

      • Entei

        Cintia,
        Espero que voce nao tenha se ofendido com meu “desabafo”, esse não era e nunca foi o objetivo.
        Com relação a ineficiência dos departamentos de RH em geral, nao foram apenas as minhas experiencias que me fizeram perceber isso.
        Amigos, amigas, conhecidos, uma grande parcela de meus contatos pessoais e profissionais passaram por situações horriveis na mãos dessas pessoas.
        Situações essas que vao desde o erro do nome do superior de uma empregado até o não pagamento de salários e benefícios.
        Eu até entendo que as pessoas erram, isso é algo normal, o problema é a frequência com que esses erros ocorrem, bem como a gravidade que eles exercem sobre a vida das pessoas.
        Erros banais como a falta de pagamento de salários, perda de fichas e documentos, são coisas que nao deveriam NUNCA ocorrer em qualquer departamento , quanto mais no RH que é responsável por gerir os empregados.
        Agora , no que diz respeito a minha aversão a esses processos seletivos instaurados nas empresas,posso lhe garantir que ela nao advém exclusivamente das minhas infelizes experiencias e situações pelas quais passei, é pura e simplismente uma conclusão lógica que cheguei.Vou esclarecer.
        Segundo esses profissionais, são necessários algumas horas para se selecionar os cadidatos mais aptos para as vagas de acordo com uma série de procedimentos aplicados por eles.
        Como uma pessoa pode conhecer a outra e dizer se ela esta apta ou não para entrar em uma vaga com apenas poucas horas para analisá-la?existem casais que estao casados a anos e nao conhecem completamente um ao outro!Não me venha com baboseiras do tipo “ahh mas voce nao conhece os estudos.”Que estudos eu pergunto?? voce mesmo confessou que isso nao é uma ciencia exata, o resultado obtido ali nao pode ser aplicado acolá.
        Se profissionais de RH fossem tao bons em se descobrir o perfil de uma pessoa, jamais escolheriam um parceiro que lhes fosse ruim, ja que em um curto espaço de tempo seriam capazes de traçar o perfil dessa pessoa e saber facilmente se aquela´pessoa é adequada ou não para se ter um relacionamento sério.nós dois sabemos que voces nao sao capazes de fazer isso, por que entao seriam para descobrir o “perfil” de um profissional??Sinceramente me parece um tanto quanto prepotente esse tipo de comportamento se me permite analisar.
        Vocês pensam que podem distinguir entre um mentiroso ,dissimulador e uma pessoa que diz a verdade, mas sabem que no fundo isso é mentira, se agarram a parcos trabalhos cientificos, que como ja explicitei acima possuem resultados um tanto quanto questionáveis ja que como foi salientado isso nao se trata de uma ciencia exata.Ou voce realmente acredita que ,por exemplo,olhar para cima realmente significa que a pessoa esta pensando em algo???
        Faça-me o favor!

      • http://www.vidadetrainee.com Cintia

        Olá!

        Entendo perfeitamente a sua frustração. Como vários outros departamentos, o RH tem muito a melhorar. Do mesmo modo que um erro no sistema faz com que um funcionário não receba o salário, fornecedores deixam de receber o pagamento pelo mesmo motivo, assim como clientes que continuam a ser cobrados mesmo depois de pagar ou mesmo contas que não são enviadas. São erros graves, concordo, mas fazem parte da falta de organização do Brasil como um todo. Mas estamos evoluindo.

        Costumamos dizer que a dinâmica de grupo é uma “foto” sua daquele momento. Naquele dia, naquelas circunstâncias, você não demonstrou ter algumas das competências desejadas, o que não quer dizer de forma alguma que você não as possua.

        Certamente muitos candidatos excelentes perdem a chance de seguir no processo por não estarem em um bom dia ou outro motivo, mas os recrutadores trabalham para que os candidatos que avançam estejam dentro do perfil. E é por isso que existem várias fases, para que em cada oportunidade mais um ponto seja confirmado/avaliado.

        Não existe um perfil perfeito. Existe o perfil que o gestor está buscando para a vaga, para completar o seu time. Pode ser que naquele momento ele precise de uma pessoa mais analítica e cuidadosa, ou ainda de alguém mais ousado e decidido.

        Essa história de “olhar para cima” ou seja para que lado for é bobagem, é coisa da “mídia”. Ninguém avalia um candidato por “olhares”, “braços cruzados” ou esse tipo de coisa. A postura como um todo é analisada. Não há problema em olhar para baixo, por exemplo, desde que não passe a entrevista inteira olhando para o chão, pois o contato visual é importante ao se comunicar com outra pessoa.

        E de modo algum podemos saber se alguém está mentindo. Podemos sim perguntar o máximo de detalhes possível e depois buscar contato com referências, para saber se a pessoa realmente exerceu aquela função, por exemplo.

        Eu não tenho mais atuado na área de Recrutamento, mas conheci muitos profissionais competentes.

        No mais, eu não posso mudar a sua opinião. Quando eu sugeri que pesquisasse mais sobre o assunto, foi justamente para que pudesse entender melhor que não temos essa “prepotência” toda que você imagina, simplesmente porque não “descobrimos um perfil” da forma que você pensa.

        Mesmo que você nunca trabalhe com RH, um dia você poderá se tornar um gestor, e terá de entrevistar candidatos para a sua equipe. Você pode contratar o profissional mais capacitado tecnicamente, mas ainda assim poderá ter muita dor de cabeça com o comportamento inadequado dele. Se você aprender técnicas de entrevista, como a entrevista por competências, por exemplo, não terá garantias de que acertará sempre, mas errará menos, e terá um time mais próximo do que você deseja.

    • tânia

      Na minha opinião perde-se muito profissional realmente bom por causa dessa babaquice de dinâmicas de grupo e entrevistas q visam conhecer o candidato perguntando sobre suas qualidade e defeitos.Também concordo q o escolhido acaba sendo aquele com quem o último entrevistador foi com a cara. Já participei de muita entrevista e nunca passei em nenhuma. No entanto fui 1º lugar de três concursos públicos e hoje também sou dona do próprio negócio. Na hora de contratar funcionário a única exigência que faço é que ele não seja do tipo estourado, encrenqueiro e que desobedeça ordens. Nem ligo muito se ele tem alto nível de instrução como pós graduação, mestrado, etc.

    • Simone

      Nunca li paragráfos mais sensatos do que li acima, penso igual, e estou decepcionada com pessoas de Rh e selecionadores, que te escolhem por idade, beleza ou por QI quem “indica”. Essas dinâmicas nada dizem sobre a competência de um profissionnal.

  • Amauri Andrade

    Olá, Cíntia gostei muito do seu site tirei minhas dúvidas sobre o que estava querendo, parabéns.

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Muito obrigada, Amauri! Seja bem-vindo!

  • Mayara Furtado

    Oi, tudo bem? Tenho que fazer uma redação sobre ” Meu interesse no pré vestibular social ” gostaria de pedir sua ajuda

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Olá, Mayara! Vou dizer o mesmo que disse à Joice, que também fez a mesma pergunta.

      Procure responder perguntas como: Por que você tem interesse no projeto? Por que acha ele bacana? Você sempre foi aplicada nos estudos? Quando começou a estudar mais? Foi por causa de um professor, de uma matéria específica ou outro motivo? E quais são os seus planos? O que você quer ser quando crescer? O que pretende estudar e em que pretende atuar depois que se formar?

      Depois é só estruturar esses tópicos em texto corrido, na forma de parágrafos. Um contando sobre o projeto, outro sobre você e um final sobre como o projeto pode lhe ajudar a conquistar seus sonhos/planos.

      Essa é apenas uma sugestão. Você pode aproveitar essa estrutura e mudar o que achar necessário.

      Abraços

  • Felipe Rocha Zamuner

    Olá Cintia,

    Muito obrigado e parabéns pelo material.

    Com certeza ajudará muitos jovens que buscam por oportunidades mais desafiadoras no mercado de trabalho.

    Att.

    Felipe

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Muito obrigada, Felipe! Estamos aqui pra isso! rs

      Abraços

  • Marciane

    Cintia, as entrevistas são conduzidas em que idioma? Sei que é importante falarmos outro idioma, inglês principalmente, mas JBS pede nivel de inglês intermediário,
    isso é para entrevista ou no caso de job internacional?

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Olá, Marciane!

      Normalmente as empresas colocam o inglês nos pré-requisitos por ele ser necessário em atividades do dia a dia, como na comunicação (troca de e-mails) e envio de relatórios para unidades da empresa no exterior.

      Geralmente, quando a empresa também realiza etapas em inglês, o candidato é informado. Mas é claro que também nada impede que, no meio da entrevista, o gestor dispare uma ou duas perguntas em inglês para ver como o candidato “se vira”.

  • Joice

    Olá Cintia!
    Preciso de sua ajuda.Eu vou me inscrever em um Pré-vestibular social, e eles pediram pra fazer um texto de no máximo 30 linhas, na qual eu tenha que relatar o meu interesse no Pré-Vestibular Social, a minha história como estudante e os meus planos.Como eu posso fazer essa redação e o que eu devo contar na parte da “minha história”?

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Olá Joice! O primeiro passo é procurar responder na forma de tópicos essas perguntas que você colocou. Por que você tem interesse no projeto? Por que acha ele bacana? Você sempre foi aplicada nos estudos? Quando começou a estudar mais? Foi por causa de um professor, de uma matéria específica ou outro motivo? E quais são os seus planos? O que você quer ser quando crescer? O que pretende estudar e em que pretende atuar depois que se formar?

      Depois é só estruturar os tópicos em texto corrido, na forma de parágrafos. Um contando sobre o projeto, outro sobre você e um final sobre como o projeto pode lhe ajudar a conquistar seus sonhos/planos.

      Essa é apenas uma sugestão. Você pode aproveitar essa estrutura e mudar o que achar necessário.

      Abraços

  • luana

    oii Cintia td bem?
    eu preciso de uma ajuda por favor mim ajude..
    eu preciso fazer uma redaçao pq eu quero entrar na empresa?

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Olá, Luana! Para fazer a redação, recomendo que pesquise sobre a empresa e analise os motivos pelos quais gostaria de trabalhar nela. Então elabore um rascunho com um parágrafo sobre você, outro sobre os pontos que mais lhe chamam atenção na empresa e um fechamento sobre porque vocês combinam um com o outro e como você pode contribuir para a empresa.

      Abraços

  • Stephany

    Eu preciso fazer um redação com o tema: Por que você gostaria de conseguir essa vaga no curso?”. Queria muito que você me ajudasse, obg.

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Olá Stephany,

      Em uma redação como essa, é interessante explicar o que mais lhe atrai no curso, que carreira você pretende seguir a partir dele, porque você acha que combina com ele (suas afinidades e características etc). Espero ter ajudado. Abraços

  • tay

    ola Cintia vou preencher a ficha da taco me da umas dicas!

    • http://www.vidadetrainee.com Cintia

      Olá! Olha, não é bem assim que funciona. O objetivo é que você pesquise as informações sobre a empresa e descubra porque se identifica com ela. É algo muito pessoal. Recomendo que releia o artigo e outros materiais para se preparar melhor.

      Abraços