Novidade!

Receba vagas no seu perfil por e-mail

Entrevista com Mariane Sabala, Trainee Prysmian Group

18.11.2017 | em Carreira

Imagem com fundo roxo, onde se lê "Would you rather wait for your future or build it?". Contém as logomarcas do Prysmian Group e do Build the future. Uma garota sorri olhando para você. Ela está com um "macarrão de piscina" de cor rosa enrolado em volta de sua cabeça.Olá, pessoal!

A Prysmian Group, maior designer e fabricante de cabos do mundo, está com inscrições abertas para a edição 2018 do seu programa de trainee, o Graduate Program.

Com o lema “Build the future”, a empresa faz o convite: “Você prefere esperar pelo futuro ou construí-lo?”.

Mariane Sabala respondeu a esse chamado para a aventura no ano passado e se tornou trainee 2017 da Prysmian Group. Que desafios terá enfrentado e quais foram os seus maiores aprendizados até agora nesta verdadeira jornada do herói?

Tudo isso e muito mais será desvendado nesta entrevista. Confiram!

 

Fale um pouco sobre você.

Meu nome é Mariane Delarissa Sabala, tenho 24 anos e sou de Campo Grande – MS. Me formei em Engenharia Química na UNICAMP e atualmente trabalho na Prysmian, na planta de Sorocaba.

 

A sua formação é na área Química. O que mais chamou a sua atenção e atraiu o seu interesse para a Prysmian Group e o Graduate Program?

Sendo da área química, eu não tinha muito conhecimento sobre a Prysmian ou mesmo o setor de energia e telecomunicações como um todo. Comecei a me aprofundar quando vi a oportunidade do programa, que oferece um desenvolvimento técnico e profissional muito grandes, além de uma experiência de trabalho globalizada. Ao pesquisar mais sobre a Prysmian Group, me interessei ao perceber que a empresa tem em seu core a visão de conectar pessoas e promover o desenvolvimento.

 

Você poderia falar um pouco sobre o processo seletivo? Houve alguma etapa ou algum momento decisivo em que você soube que a Prysmian era a empresa ideal para você?

O processo seletivo é composto por várias etapas e elas podem variar um pouco de ano para ano. A primeira delas é a triagem dos currículos – eles verificam principalmente se a formação está dentro dos requisitos e a fluência no inglês, que é muito importante. Depois, enviam os testes de habilidades, que incluem: matemática, lógica, inglês e perfil. Em seguida, tem uma etapa de dinâmica em grupo e entrevistas com o RH e com os executivos, tanto aqui do Brasil quanto do Headquarter, que fica em Milão.

Durante o processo, eu senti muita abertura para conversar, questionar e também entender o que eles estavam buscando. Eu percebi que eles não estavam interessados em pessoas apenas “cumprindo um papel” durante o processo e, sim, buscando saber o que nos motivava e a forma com que trabalhávamos para entender se daríamos certo com o perfil e visão da empresa.

 

Como tem sido a experiência de fazer parte de um programa global? Você tem contato com trainees de outros países?

Sim! As duas primeiras semanas de trabalho acontecem em Milão, quando nós temos praticamente uma submersão no mundo Prysmian. Todos os 50 graduates passam esse tempo lá, onde nós temos aulas de business com professores da Bocconi – uma das melhores escolas da Europa – e também palestras com a alta direção, onde entendemos melhor os negócios da empresa.

No decorrer desse tempo, além das aulas, participamos de vários eventos, o que nos possibilitou conhecermos uns aos outros e acabamos virando um grupo bastante unido. No período do treinamento, encontramos também alguns trainees dos anos anteriores, e o resultado é que formamos uma rede de contatos ao redor do mundo, possibilitando trocarmos experiências profissionais e boas práticas entre as plantas.

 

Qual tem sido o maior desafio do programa até agora? E o maior aprendizado?

O maior desafio é a flexibilidade que nós precisamos ter ao passar pelas diferentes áreas. É importante entender que cada área e pessoas trabalham de uma maneira e têm uma visão diferente da empresa. Ao transitar entre Engenharia, Industrial e Comercial, é necessário adaptar-se para conseguir desenvolver os projetos.

A rotação também me trouxe o maior aprendizado, que é a noção de que uma empresa tão grande como a Prysmian só consegue ser bem-sucedida quando todas as áreas trabalham de maneira conjunta, e, ao desenvolver qualquer projeto, é importante pensar no que é mais importante para o negócio, não para essa ou aquela área apenas.

 

E como estão os preparativos para o International Assignment? O país destino e o seu projeto já foram definidos?

Ainda não temos definidos o país de destino, mas a expectativa está bem grande! Ao longo de todo o primeiro ano, demos feedback ao o RH local e tivemos algumas conversas com o responsável pelo programa Graduate em Milão também. Nesses feedbacks, contamos como estava sendo nossa experiência e nossas expectativas para o assignment. Assim, eles levarão em consideração nosso feedback e o perfil de cada pessoa para alocar as vagas. Acreditamos que logo, logo saberemos o destino de cada um!

 

Quais características você considera essenciais para quem deseja ser um trainee no Graduate Program? Os nossos leitores adorariam algumas dicas…

Para ser um Graduate, acredito que seja essencial gostar de um ambiente desafiador. Nós somos expostos a um desenvolvimento intenso e acelerado, e desde o início já participamos de projetos que tem grande importância para a empresa. Assim, é necessário se sentir confortável com desafios e ter sempre vontade de aprender. Se você se identifica com essas características e deseja ter uma carreira internacional, a Prysmian é o lugar certo!

*****

Muito legal, Mari! Adoramos conhecer um pouco mais sobre você e a rede global de trainees do Graduate Program!

Aliás, fui só eu ou vocês também ficaram curiosos em saber para qual país a Mari será enviada?

Para matar a curiosidade… Encham o post de comentários! Assim a Mari volta no ano que vem para nos contar tudo sobre o seu projeto no exterior!

Existe uma outra possibilidade. Já pensou em se tornar um ou uma Graduate?! Aí você iria conversar com a Mari pessoalmente!

Só não vale ficar sonhando sem partir para a ação! E aí? Vai ficar aí esperando pelo futuro ou vai fazer acontecer? As inscrições já terminam no dia 30/11/2017!

Inscreva-se para o Prysmian Group Graduate Program 2018

Posts relacionados

« Mais antigos

Deixe seu feedback!

  • eduardo antunes

    Sei que o site está todo em inglês mas ainda assim acho bom perguntar. Para se candidatar, devemos colocar um currículo em português ou inglês?